Obrigado! Você passará a receber nossas novidades.
Oops! Something went wrong while submitting the form.
Francês
-
22/11/2021

Saiba por quê o francês não é uma língua difícil de aprender

Você quer aprender francês e não sabe por onde começar? Ouviu dizer que francês é difícil? Vamos com calma! O idioma é mais fácil do que nós brasileiros achamos. Pronúncia, leitura, audição e escrita podem ser bem desenvolvidos com um bom curso de francês.


Provamos aqui que aprender francês não é difícil! Veja o porquê!

Aprender francês é difícil? Não, porque o idioma já está presente no nosso dia a dia...

...na cozinha

Francês é difícil? Nem tanto para quem deseja bom apetite (“bon appétit!”) à família no almoço de domingo. Também é familiar para quem pede o cardápio (menu) no bar ou fica na dúvida entre um restaurante com buffet ou à la carte. 


Existem inúmeras palavras que utilizamos em nosso cotidiano da culinária que são muito semelhantes às palavras francesas. Caso você esteja pensando em aprender francês, certamente verá muitas delas nas aulas. Veja algumas a seguir:

  • Crème brûlée: creme queimado, em tradução literal, mas é uma sobremesa à base de creme de leite.
  • Omelette: para nós, omelete é algo bem específico, mas a tradução seria receita à base de ovo.
  • Croissants: pão em formato de lua crescente (ou minguante, depende do ponto de vista).
  • Garçon: sim, não é uma invenção nossa a palavra, pois a tradução literal é “moço”.
  • Purée: nosso famoso purê, que pode ser feito com frutas ou legumes amassados.
  • Soufflé: do português suflê, é uma receita à base de farinha levada ao forno.
  • Filet: nosso filé, que nada mais é do que um corte de carne ou peixe.
  • Canapés: porções para pequenas mordidas
  • Baguettes: pão em formato de vara.
  • Champignon: tipo de cogumelo.
  • Croquette: bolinho frito.
  • Mousse: espuma.

...na moda

“Bijouteries”, peças de “crochet”, um clássico “tailleur” na cor “carmin”. Os vestidos em “taffetas” comprados em uma “boutique” que também vende calças em veludo “côtelé” (tipo de tecido grosso). Um “escarpin” nos pés e uma “écharpe” por cima da roupa. Muito “chic”!


Quando falamos em moda, também encontramos muitos termos em francês. Essa familiaridade do nosso cotidiano ajuda bastante quem deseja aprender francês. Afinal, os termos já estão incorporados pelo português. E isso continua também no entretenimento e na decoração.

...no entretenimento e na decoração

Você sabia que a palavra cinema é “cinéma” em francês? Que o “doublé” (cópia) é, para os brasileiros, dublê? O entretenimento é outro espaço que utiliza muitos termos em francês. É o caso também de “marionnette”, “fantoche” e “atelier”.


No universo da decoração, temos algumas palavras simplificadas, como é o caso do abat-jour. Ao “aportuguesar” a palavra, abajour. Uma outra palavra que sequer mudamos é “bouquet”, ainda utilizado por muitos vendedores em vez de “buquê”.


Ainda acha que francês é difícil? Em um bom curso de francês, você verá que os idiomas são irmãos! Esse é só mais um clichê sobre a França!

… e também porque nossos idiomas são irmãos

O motivo pelo qual lidamos com tantas palavras parecidas nos dois idiomas é bem simples: ambos têm o latim como língua mãe. Assim como o espanhol e o italiano, o francês e o português são línguas românicas.


Essa procedência comum ou parentesco é o que dá aos brasileiros uma boa vantagem na hora de aprender francês. E vice-versa, claro. O benefício serve para qualquer falante dessas línguas. 


E não é só no vocabulário que acabamos de demonstrar. Ele é só um retrato desse parentesco. Noite (em português) ou nuit (em francês) provém do latim noctem. E isso acontece com milhares de palavras. Mas e além delas?


Como apontaremos a seguir, você verá que a gramática é muito semelhante. A construção de frases e as flexões de gênero e número deixa isso bem evidente. São facilidades implícitas que nos ajudam a ter bom desempenho nas aulas de francês.


A propósito, você sabia que o alfabeto que utilizamos é o mesmo utilizado no francês? É o alfabeto romano. Completamente diferente é o alfabeto cirílico, utilizado na Rússia, ou o alfabeto árabe. Pior ainda é o Japão, que utiliza três sistemas diferentes: Kanji, Hiragana e Katakana.


Por isso, quando você pensar “francês é difícil?”, volte atrás. Certamente tem um estudante brasileiro de idiomas passando mais dificuldades do que você. 

Aprender francês é difícil? Não, porque a sintaxe e o vocabulário são parecidos

Você sabia que o idioma francês segue a mesma ordem sintática do que o português? Ambos seguem o esquema “Sujeito + Verbo + Objeto”, o que, inclusive, é utilizado por muitas outras línguas faladas no mundo. 

Nas aulas de francês, você verá que a frase “Eu amo esporte” e “J’aime le sport” têm a mesma sequência: sujeito, verbo e objeto. 


Os pronomes que ocupam o lugar do sujeito na frase também são os mesmos utilizados no português. Veja o pronome pessoal do caso reto: Je (Eu), Tu (Tu), Il/Elle (Ele/Ela), Nous (Nós), Vous (Vós), e Ils/Elles (Eles/Elas).


A concordância também é feita com o sujeito da frase, em gênero (masculino ou feminino) e número (singular e plural). Ou seja, “Elle est belle” (Ela é bonita) e “Elles sont belles” (Elas são bonitas). Bem familiar, não é?


Completando as semelhanças, os tempos verbais no francês também são semelhantes. Existem os modos indicativo, subjuntivo e imperativo. É claro que os idiomas têm suas complexidades e não se reduzem a isso. 


Há diferenças e particularidades, como o futuro do subjuntivo, que existe no português, mas não existe em francês. Por outro lado, o francês possui o modo “conditionnel”, ausente no português.


Francês é difícil? Vimos que não! Aprender francês é algo tranquilo para todos os falantes de idiomas que provêm do latim. É o caso do português. Com um bom curso de francês, você poderá sentir a facilidade ao conhecer uma língua-irmã.


Que tal conhecer também a relação entre o francês e os jogos olímpicos para se preparar para Paris 2024?


Posts Relacionados